Skip to Content

Cabra Marcado Para Morrer

O projeto original deste filme consistia em uma produção conjunta entre o CPC da UNE e o MCP de Recife, acordada em fins de 1963. Em fevereiro de 1964 teve iniciou a filmagem, que contaria a história política do líder da Liga Camponesa de Sapé (Paraíba), João Pedro Teixeira, assassinado em 1962. No entanto, imediatamente após o golpe militar de 31 de março de 1964, as forças militares cercaram a locação no Engenho da Galileia, interromperam a filmagem e apreenderam os equipamentos.

Dezessete anos depois, o diretor Eduardo Coutinho reencontrou a viúva de João Pedro, Elisabeth Teixeira - que até então vivia na clandestinidade - e vários dos camponeses que haviam atuado no filme antes de ser brutalmente interrompido, e completou sua produção, focando-o agora em entrevistas com Elizabeth Teixeira e seus filhos. Assista os sete minutos iniciais do filme, nos quais é contada esta história e explicitada sua relação com o CPC da UNE.

Ficha Técnica Título Original: Cabra Marcado Para Morrer
Gênero: documentário
Tempo de Duração: 119 min.
Ano de Lançamento (Brasil): 1964/84
Direção e roteiro: Eduardo Coutinho
Elenco: Elizabeth Teixeira; João Virgínio Silva; Moradores do Engenho Galiléia (PE).