Skip to Content

NOTA DE REPÚDIO

As entidades, movimentos, instituições e coletivos abaixo signatários vem a público manifestar sua perplexidade e seu repúdio ao discurso proferido pelo Sr. Sebastião de Barros Quintão (PMDB), Prefeito de Ipatinga, durante a abertura do 16º Fórum Nacional de Dirigentes Municipais de Educação, realizada na semana passada. Da mesma forma, exorta a União de Dirigentes Municipais da Educação (UNDIME) a exteriorizar seu posicionamento acerca da postura do chefe do Poder Público municipal de Ipatinga, na certeza de que esta instituição não compactua com o pensamento escravocrata externado por aquele orador.

NOTA PÚBLICA DOS FÓRUNS DE EJA DA REGIÃO SUDESTE

CONTRA O PL 274/2017 (ESCOLA SEM PARTIDO) E EM FAVOR DA LIBERDADE DE ENSINAR E APRENDER

Guararema, 06 de agosto de 2017.

Os Fóruns de Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Região Sudeste reunidos no IV EREJA, de 4 a 6 de agosto, em Guararema, SP, reafirmam que o direito à educação diz respeito essencialmente à formação da pessoa, que como tal é constitutiva de múltiplas dimensões, às quais a escola precisa estar atenta, tendo em vista a formação plena, conforme previsto na LDB. Neste sentido, o direito humano à educação exige que se cuide do “pleno desenvolvimento do educando e seu preparo para o exercício consciente da cidadania” (art. 2° LDB). Essas finalidades e princípios têm por objetivo promover uma educação escolar de qualidade social, que contribua para o desenvolvimento e a emancipação humana, contribuindo para a formação de cidadãos e cidadãs brasileiros com capacidade crítica, compromisso social e autonomia responsável, capazes de conviver e trabalhar em harmonia com a diversidade que caracteriza a sociedade.

CARTA À PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS COMO DIREITO

O tema central que está sendo abordado pelos Fóruns de EJA em seus encontros municipais, regionais e nacional é a reflexão e a avaliação dos vinte anos da modalidade na LDB sob ponto de vista legal e a ação prática. Nunca tal proposta se fez tão apropriada quanto neste momento em que, de Sul a Norte do país, a política neoliberal promove um desmonte dos avanços que se conquistou até aqui.

Neste paralelo entre as conquistas obtidas através da legislação e a sua efetiva aplicação estão, de um lado, o poder público constituído e o quanto este tem reconhecido os direitos constantes na lei, e de outro, as forças da sociedade civil organizada, associadas a essa modalidade de ensino, representadas por diferentes segmentos, e o quanto promoveram de avanços na aplicação dos direitos assegurados.

I Encontro Mineiro sobre Educação de Jovens, Adultos e Idosos

I Encontro Mineiro sobre Educação de Jovens, Adultos e Idosos
Acesse aqui os Anais do I Encontro Mineiro de Educação de Jovens, Adultos e Idosos
 

Veja os resultados do nosso I Encontro: propostas, moções, documentos, regimento interno, gráficos, fotos e vídeos. 

Segue os Anais de nosso I Encontro na esperança do chamado para o nosso II Encontro. 

 

Resposta dos Fóruns de EJA do Brasil ao MEC

Brasil, 07 de Junho de 2017.

Prezada Senhora

Maria Helena Guimarães de Castro,

Em resposta ao Ofício 20/2017/CHEFIAGAB/SE/SE/ME que trata do Processo 23000.021223/2017-62, onde esta Secretaria Executiva solicita indicação de representantes no Fórum Nacional de Educação (FNE), os Fóruns de Educação de Jovens e Adultos do Brasil avaliam que:

1. O Fórum Nacional de Educação (FNE) é uma conquista histórica e um espaço de interlocução entre sociedade civil e governo, previsto na Lei no 13.005/14, que dispõe sobre o Plano Nacional de Educação (PNE), referência para a gestão e a mobilização da sociedade brasileira. Por definição legal é o coordenador e articulador das conferências nacionais de educação, plurais e democráticas, e uma das instâncias de monitoramento e avaliação do PNE.

2. O FNE é formado e constituído por decisões colegiadas, de maneira transparente, republicana e democrática e, portanto, sob bases conhecidas e pactuadas. Não é um apêndice rebaixado do Ministério da Educação que, por ele, pode ser modificado a qualquer tempo de forma unilateral e arbitrária, para atender quaisquer interesses conjunturais e políticos.

I Seminário de Pesquisadores e Extensionistas sobre Educação de Jovens e Adultos na UFMG

De 29 a 31 de março de 2017 será realizado o I Seminário de Pesquisadores e Extensionistas sobre Educação de Jovens e Adultos na UFMG. Nesse Seminário, reuniremos, pela primeira de muitas outras vezes, professores universitários, estudantes universitários, pós-graduandos e demais interessados na pesquisa, na extensão e nos estudos que ocorrem na UFMG em todas as áreas sobre o estudo, a formulação e a elaboração das políticas públicas que tratem de Jovens, Adultos e Idosos. Um dos objetivos deste Seminário é a constituição de uma Rede de Pesquisadores e Extensionistas na temática. 

A dinâmica do Seminário contará com Conferência de Abertura dia 29 à noite; Apresentações de Trabalhos de Pesquisa e Extensão dos professores universitários e de universitários orientados por estes, dia 30, manhã e tarde; atividade cultural à noite; conversas sobre encaminhamentos da organização dos docentes envolvidos com Jovens, Adultos e Idosos na UFMG, dia 31, pela manhã e, finalmente, a fala de um especialista em política pública dizendo das possibilidades de Redes que registrou sobre as apresentações. Outro objetivo desse Seminário é darmos início à construção da ideia e depois termos uma edição de um livro online com o registro de experiências relatadas.

O que o MEC ainda precisa fazer pela EJA em 2016?

eja.jpg

O ano de 2016 está acabando e o Ministério da Educação ainda está com dívidas em relação à garantia da oferta e garantia da Educação de Jovens e Adultos para brasileiras e brasileiros de todas as regiões do país. Com o objetivo de reunir todas as ações necessárias porém não efetivadas, os Fóruns de EJA do Brasil, a Comissão Nacional de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos (CNAEJA) e o Grupo de Trabalho n. 18 da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) lançou um documento 22 tópicos que vão desde assumir a Educação Popular na EJA até manutenção do apoio à pesquisa em EJA pelas agências de fomento.

Acesse o arquivo completo no link abaixo.

NOTA PÚBLICA EM SOLIDARIEDADE AO MST E EM REPÚDIO À OPERAÇÃO DA POLÍCIA DE SÃO PAULO CONTRA A ESCOLA NACIONAL FLORESTAN FERNANDES

eff.jpg

Docentes da Licenciatura em Educação do Campo (LeCampo) e o Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação de Jovens e Adultos (NEJA) da Universidade Federal de Minas Gerais, em reunião realizada no dia 16 de novembro, se manifestaram contra os ataques de agentes do Estado à Escola Florestan Fernandes no início deste mês. Além disso se posicionam solidariamente ao Movimento Sem-Terra (MST) que vem resistindo a incessantes golpes contra o direito de manifestação garantido na Carta Magna.

Leia abaixo a íntegra a nota pública.

Fórum Estadual de Educação de Minas Gerais se posiciona contra à PEC 241

PEC 241: aja não!

Entidades da educação mineira e nacional reunidas no Fórum Estadual de Educação de Minas Gerais lançaram a segunda nota em relação à PEC 241, reafirmando o compromisso com a Educação baseada na democracia.

Leia o documento na íntegra clicando aqui.

Fóruns de EJA na luta pelo cumprimento da Meta 10 do PNE

meto10.PNG

Os Fóruns de EJA do Brasil estão na luta em defesa do cumprimento da lei n. 13.005/2014, em defesa da manutenção e do fortalecimento do PNE e em defesa da Educação de Jovens e Adultos, e precisamos de sua participação assistindo este vídeo (clique aqui), divulgando com seus conhecidos, compartilhando e fazendo comentários sobre ele.

Em sua Meta 10, o PNE estabelece como obrigação do Estado brasileiro fornecer, no mínimo, 25% das matrículas de Educação de Jovens e Adultos, nos ensino fundamental e médio, na forma integrada à educação profissional.

Nosso objetivo é contar com você em nossa ação para lembrar aos governantes o que é dever deles de acordo com a lei n. 13.005/2014, cobrando o cumprimento do PNE, em especial, a Meta 10, pois já faz dois anos que o PNE foi aprovado!

Nenhum Direito a Menos!

Conteúdo sindicalizado