Skip to Content

Seja bem Vindo ao Portal do Fórum Piauiense de EJA.

Livro para adultos não ensina erros

Uma frase retirada da obra Por uma vida melhor, cuja responsabilidade pedagógica é da Ação Educativa, vem gerando enorme repercussão na mídia. A obra é destinada à Educação de Jovens e Adultos, modalidade que, pela primeira vez neste ano, teve a oportunidade de receber livros do Programa Nacional do Livro Didático. Por meio dele, o Ministério da Educação promove a avaliação de dezenas de obras apresentadas por editoras,  submete-as à avaliação de especialistas e depois oferece as aprovadas para que secretarias de educação e professores façam suas escolhas.

Veja em anexo a notícia na integra.

Queda do analfabetismo adulto é residual

Foram poucos os que aprenderam a ler entre 2000 e 2010, segundo o censo; redução foi de 0,5 ponto percentual

Crianças e jovens foram principais responsáveis pela diminuição do analfabetismo ocorrida na década passada

ANTÔNIO GOIS
DO RIO

Edna Veiga, 76, já perdeu a conta do número de cursos de alfabetização em que se matriculou antes de, finalmente, aprender a ler.
"Fiz muitos, mas nada entrava na minha cabeça. Acho que desta vez funcionou porque o professor teve mais paciência", diz ela.
O fato de Edna ter aprendido a ler depois de adulta a torna, no entanto, uma exceção nas estatísticas.
Um olhar mais cuidadoso sobre a década passada através do censo do IBGE mostra que, apesar de quase R$ 3 bilhões investidos pelo governo federal na alfabetização de adultos, uma vez completados 20 anos de idade, foram poucos os analfabetos que aprenderam a ler e escrever entre 2000 e 2010.
A erradicação do analfabetismo na década passada era meta do Plano Nacional de Educação -aprovado pelo Congresso- e promessa de campanha de Lula.
No total da população de 15 anos ou mais, a proporção de iletrados caiu de 13,6% para 9,6%. Essa redução, no entanto, ocorreu principalmente entre crianças e jovens. Entre os brasileiros que começaram a década passada entre 20 e 49 anos, os avanços foram residuais.

PARTICIPE DO VI ENCONTRO ESTADUAL DE EJA DO FÓRUM PIAUIENSE DE EJA.

INSCRIÇÕES ENCERRADAS.

LIMITE / CAPACIDADE DO AUDITÓRIO FOI PREENCHIDA.]

Obs: Veja o Folder com a programação confirmada e Atualizada. (Clique aqui)

A confirmação da inscrição para participar do VI ENCONTRO DE EJA só se confirmará após o pagamento da taxa de inscrição, que poderá ser feito na UFPI, no CCE/DEFE-sala 38, pela manhã ou tarde. Os inscritos que não efetivarem o pagamento da taxa de inscrição até às 14h do dia 20/06 (Segunda-Feira) terão suas inscrições canceladas.

Professores da rede municipal de Santa Filomena reivindicam condições dignas de trabalho

Dentre as várias reivindicações, os docentes almejam a inclusão no plano de carreiras e salários que só fez um pequeno alvoroço e nada de tão interessante aconteceu ainda em torno e melhorias para nossos professores, além de melhores condições nas escolas.

Veja notícia na integra.

PRONUNCIAMENTO PÚBLICO DO FEDEP SOBRE O PROJETO DE LEI 8035/10

As entidades e participantes do Seminário do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública (FEDEP), realizado no dia 30 de abril de 2011, na UERJ, Rio de Janeiro, vêm a público manifestar sua disposição de defender os seus princípios, aprovados no dia 23 de fevereiro, em ampla plenária construída por mais de 30 entidades e centenas de participantes. É a partir desses princípios que promovemos a discussão do PL 8035/10 e concluímos que o mesmo, por incorporar os piores aspectos do Plano de Desenvolvimento (PDE) da Educação e aprofundá-los, significa um gravíssimo ataque à educação pública: impede a construção do Sistema Nacional de Educação capaz de garantir o ensino público, gratuito, universal, laico, unitário e de qualidade social, como dever do Estado e direito universal.

Veja em anexo na notícia na integra.

Divulgar conteúdo