Skip to Content

Professor de São Paulo recebe prêmio

 16 de outubro de 2012 - Fonte: Terra

O professor Felipe Bandoni de Oliveira foi o grande vencedor da 15ª edição do Prêmio Educador Nota 10, promovido pela Fundação Victor Civita. Em evento realizado nesta segunda, ele foi eleito o Educador do Ano pelo projeto Lua de São Jorge, desenvolvido para a disciplina de Ciências e aplicado a alunos de 7º e 8º anos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), com idades de 17 a 62 anos, do Colégio Santa Cruz, em São Paulo.

O projeto do professor teve como objetivo ensinar aos alunos como se constrói o conhecimento, transformando histórias relatadas pela classe em temas de investigação. Para demonstrar que o conhecimento científico é objetivo, Oliveira refletiu com a turma sobre a crença de que as manchas da Lua são o desenho de São Jorge. Na hora de pesquisar o tema, o educador apresentou estudos que comprovam que as manchas são sombras de crateras surgidas após colisões de corpos celestes, além do relato de uma observação do cientista italiano Galileu Galilei. A maior surpresa para os adultos, porém, foi ver a Lua no telescópio e observar a posição das estrelas nas imagens do software livre Stellarium. Eles se deslumbraram com a experiência e ainda aprenderam sobre o movimento dos planetas. Com isso, a Astronomia mudou a forma como todos entendiam o céu.

Paulo Freire - Patrono da Educação Brasileira

 Paulo Freire é oficialmente o Patrono da Educação Brasileira. Segue a lei:

Casa Civil


Subchefia para Assuntos Jurídicos


  LEI Nº 12.612, DE 13 DE ABRIL DE 2012

  Declara o educador Paulo Freire Patrono da Educação Brasileira.

   A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

   Art. 1o  O educador Paulo Freire é declarado Patrono da Educação Brasileira.

   Art. 2o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Prefeitura disponibiliza material didático na internet

Um decreto oficial determinou que a prefeitura de São Paulo libere para download gratuito todos os materiais didáticos produzidos pela Secretaria de Educação.

Entre os materiais disponiveis para download estão as Orientações Curriculares para Educação Infantil e o Ensino Fundamental, Orientaçoes didáticas para a Educação de Jovens e Adultos, Programa Ler e Escrever e os materiais produzidos pelo departamento de merenda escolar.

Confira toda noticia aqui.

ProJovem Urbano é caro e ineficiente

Programa para a juventude já gastou R$ 506 milhões, mas não consegue superar deficiências de qualidade, evasão e infraestrutura. Fonte: O Estado de S. Paulo (SP)
 
Quatro anos depois de instituído, o ProJovem Urbano (PJU), principal projeto político do governo federal para a juventude, é caro e pouco eficiente. O programa, que condensa 9 anos do ensino fundamental em 18 meses, custou aos cofres públicos R$ 506 milhões neste período, segundo levantamento da ONG Contas Abertas, mas apresenta resultados inexpressivos: após o curso, a melhora no aproveitamento dos alunos é de 17%.

A avaliação do PJU - ação destinada a jovens de 18 a 29 anos, com ensino fundamental incompleto - tem como base quatro provas, aplicadas no decorrer do curso, com notas de zero a 500. De acordo com a Secretaria Nacional da Juventude (SNJ), ligada à Secretaria Geral da Presidência da República, os alunos entram com média, em Português e Matemática, de 201,45 e saem com 236,1.

O senador Cristovam Buarque (PDT/DF) destaca que a nota alcançada equivale à reprovação no ensino regular. "Ele não sabia quase nada e terminou não sabendo quase nada." Para o integrante da Comissão de Educação do Senado, é dinheiro jogado fora. "É um supletivo ineficiente de um ensino fundamental que não aconteceu."

Ação Supervisora e EJA: Desafios na Garantia do Direito à Educação

Uma breve reflexão sobre as questões que envolvem a EJA atualmente, especialmente sobre a evasão e a aparente falta de demanda, além de apresentar alguns desafios para o Supervisor Escolar que concebe como parte de sua função atuar na defesa de garantia à educação dos jovens e adultos, com fala de Lourdes Possani.

Conteúdo sindicalizado